9 Causas mais comuns de obesidade

O equilíbrio entre a ingestão de calorias e o gasto de energia determina o peso de uma pessoa.

Se uma pessoa ingere mais calorias do que queima (metaboliza), ela ganha peso (o corpo armazena o excesso de energia na forma de gordura).

Se uma pessoa comer menos calorias do que metaboliza, perderá peso. Portanto, as causas mais comuns da obesidade são comer demais e inatividade física.

Em última análise, o peso corporal é o resultado da genética, metabolismo, ambiente, comportamento e cultura.

Inatividade física

Pessoas sedentárias queimam menos calorias do que pessoas ativas. O National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES) mostrou uma forte correlação entre inatividade física e ganho de peso em ambos os sexos.

Excessos

Comer em excesso leva ao ganho de peso, especialmente se a dieta for rica em gordura.

Alimentos ricos em gordura ou açúcar (por exemplo, fast food, frituras e doces) têm alta densidade energética (alimentos que possuem muitas calorias em uma pequena quantidade de alimentos).

Estudos epidemiológicos mostraram que dietas ricas em gordura contribuem para o ganho de peso.

Genética

Uma pessoa tem maior probabilidade de desenvolver obesidade se um ou ambos os pais forem obesos.

A genética também afeta os hormônios envolvidos na regulação da gordura. Por exemplo, uma causa genética da obesidade é a deficiência de leptina. A leptina é um hormônio produzido nas células de gordura e na placenta.

A leptina controla o peso, sinalizando ao cérebro para comer menos quando os estoques de gordura corporal são muito altos.

Se, por algum motivo, o corpo não consegue produzir leptina suficiente ou a leptina não consegue sinalizar ao cérebro para comer menos, esse controle é perdido e ocorre a obesidade.

O papel da reposição de leptina como tratamento para a obesidade está sendo explorado.

Uma dieta rica em carboidratos simples

O papel dos carboidratos no ganho de peso não está claro.

Os carboidratos aumentam os níveis de glicose no sangue, que por sua vez estimulam a liberação de insulina pelo pâncreas, e a insulina promove o crescimento do tecido adiposo e pode causar ganho de peso.

Alguns cientistas acreditam que os carboidratos simples (açúcares, frutose, sobremesas, refrigerantes, cerveja, vinho, etc.) contribuem para o ganho de peso porque são absorvidos mais rapidamente na corrente sanguínea do que os carboidratos complexos (massas, arroz integral, grãos, vegetais, crus frutas, etc.) e, portanto, causam uma liberação de insulina mais pronunciada após as refeições do que os carboidratos complexos.

Essa maior liberação de insulina, acreditam alguns cientistas, contribui para o ganho de peso.

Usar detox caps pode lhe ajudar a trazer maior controle de seu peso.

Frequência de alimentação

A relação entre a frequência de alimentação (com que frequência você come) e o peso é um tanto controversa.

Existem muitos relatos de pessoas com sobrepeso que comem com menos frequência do que pessoas com peso normal.

Cientistas observaram que pessoas que comem pequenas refeições quatro ou cinco vezes ao dia têm níveis mais baixos de colesterol e níveis de açúcar no sangue mais baixos e / ou mais estáveis do que pessoas que comem com menos frequência (duas ou três grandes refeições diárias).

Uma possível explicação é que pequenas refeições frequentes produzem níveis estáveis de insulina, enquanto grandes refeições causam grandes picos de insulina após as refeições.

Medicamentos

Medicamentos associados com o ganho de peso incluem certos antidepressivos (medicamentos utilizados no tratamento da depressão), anticonvulsivos (medicamentos utilizados no controle de crises, tais como carbamazepina [Tegretol , Tegretol XR, Equetro , Carbatrol] e valproato [Depacon , Depakene], alguns medicamentos para a diabetes (medicamentos usado na redução do açúcar no sangue, como insulina, sulfonilureias e tiazolidinedionas), certos hormônios, como contraceptivos orais, e a maioria dos corticosteroides, como prednisona.

Alguns medicamentos para hipertensão e anti-histamínicos causam ganho de peso. O motivo do ganho de peso com os medicamentos difere para cada medicamento.

Se isso for uma preocupação para você, discuta seus medicamentos com seu médico em vez de interromper o uso de medicamentos, pois isso pode ter efeitos graves.

Fatores psicológicos

Para algumas pessoas, as emoções influenciam os hábitos alimentares. Muitas pessoas comem excessivamente em resposta a emoções como tédio, tristeza, estresse ou raiva.

Embora a maioria das pessoas com excesso de peso não tenha mais distúrbios psicológicos do que as pessoas com peso normal, cerca de 30% das pessoas que procuram tratamento para problemas graves de peso têm dificuldade para comer compulsivamente.

Doenças

Como hipotireoidismo, resistência à insulina, síndrome dos ovários policísticos e síndrome de Cushing também contribuem para a obesidade. Algumas doenças, como a síndrome de Prader-Willi, podem levar à obesidade.

Questões sociais

Há uma ligação entre questões sociais e obesidade. A falta de dinheiro para comprar alimentos saudáveis ou a falta de locais seguros para caminhar ou praticar exercícios pode aumentar o risco de obesidade.

Quais são os outros fatores associados à obesidade?

Etnia

Fatores de etnia podem influenciar a idade de início e a rapidez do ganho de peso. Mulheres afro-americanas e hispânicas tendem a ter ganho de peso mais cedo do que as brancas e asiáticas, e as taxas de obesidade ajustadas à idade são mais altas nesses grupos.

Homens negros não hispânicos e homens hispânicos têm uma taxa de obesidade maior do que homens brancos não hispânicos, mas a diferença na prevalência é significativamente menor do que nas mulheres.

Peso na infância

O peso de uma pessoa durante a infância, adolescência e início da idade adulta também pode influenciar o desenvolvimento da obesidade adulta. Portanto, diminuir a prevalência da obesidade infantil é uma das áreas de foco na luta contra a obesidade. Por exemplo,

  • estar levemente acima do peso no início dos 20 anos estava relacionado a uma incidência substancial de obesidade aos 35 anos;
  • estar acima do peso durante a infância é altamente preditivo de obesidade adulta, especialmente se um dos pais também for obeso;
  • estar acima do peso durante a adolescência é um indicador ainda maior de obesidade adulta.

Hormônios

As mulheres tendem a ganhar peso, especialmente durante certos eventos, como gravidez , menopausa e, em alguns casos, com o uso de anticoncepcionais orais.

No entanto, com a disponibilidade de pílulas de estrogênio de baixa dosagem, o ganho de peso não tem sido um risco tão grande.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a n[os, comente abaixo!

Até a próxima!