Como Escrever um Livro

Ter uma rotina, ler muito ou estabelecer prazos pode ajudá-lo a obter bons resultados.

O escritor nasceu ou foi feito? Todos nós podemos escrever? O que precisamos para obter o ‘Cervantes’ que todos carregamos dentro? Existe uma idade ideal para começar a escrever? Por ocasião do Dia do Livro, da mão da escritora e treinadora de redação criativa por mais de 20 anos, Diana P. Morales, contamos a você as melhores dicas e truques para escrever um livro. Não importa o tempo ou a idade. Além disso, muitos dos grandes escritores e escritores começaram suas carreiras literárias depois da meia-idade.

Veja também: curso para escritores e treinamento na Carreira Literária

Dicas para se tornar um escritor

  1. Escreva regularmente

Ele escreve, escreve muito, escreve regularmente e apesar de tudo. Esse seria o primeiro conselho de Diana P. Morales. “Escreva pelo menos uma página por dia e tente ser preciso. Escrever muito e regularmente é a melhor receita para aprender e melhorar como escritores”, diz ele.

  1. Peça opiniões e aprenda com elas

Em algum momento, se você deseja ser um escritor, em algum momento seu trabalho terá que ver a luz e ser julgado pelos leitores. Antes de compartilhar seu manuscrito com pessoas em quem você confia totalmente, aqueles que você conhece serão críticos construtivos e honestos.

Quando você receber críticas ou comentários, avalie e aprenda com eles. Não tome isso como um ataque pessoal, eles só querem ajudá-lo.

  1. Leia (quase) todos os dias

Não há melhor professor para um escritor do que os grandes autores de todas as idades. Para ser escritor, a leitura diária é quase uma obrigação que muitos não se sentirão como tal. Ler é o alimento da escrita.

  1. Escreva para seu próprio prazer

Você não precisa escrever apenas pensando em publicar. A escrita que surge em momentos de relaxamento ou para si também é prática e com ela também se aprende.

O especialista recomenda manter um diário pessoal. “Não se intimide com a sua privacidade. Esse exercício diário é fundamental. No jornal não existem mais regras do que aquelas que você se impõe. É a ginástica do escritor criativo”, afirma.

Alguns dos jornais mais famosos de todos os tempos são os diários de Anaïs Nin. Um diário escrito em vários volumes ao longo da vida, mais de trinta e cinco mil páginas.

  1. Prazos, objetivo e rotina

Estabeleça prazos e objetivos claros. Eles irão ajudá-lo a manter o foco, mas seja realista. Se você definir metas impossíveis de cumprir, ficará frustrado e se bloqueará ainda mais. Defina uma rotina. “Para todos nós que escrevemos, muitas vezes o mais difícil é sentar e escrever. O simples ato de escrever e criar algo novo te coloca diante de todas as suas dúvidas e inseguranças: se você escreve apesar de tudo, as dúvidas vão se dissipando”, compartilha. Morales.

Veja quando você é mais criativo e sua mente está mais clara, seja de manhã ou à noite. Encontre pelo menos uma lacuna em sua programação semanal – pode ser uma hora, duas ou três – e reserve para escrever; sim, você tem que ser constante.

Mesmo uma hora por semana é mais do que suficiente para começar e em alguns meses você notará um grande avanço.

  1. Descansar

Porque tão importante é cultivar o hábito de escrever estabelecendo sua agenda, o pior inimigo de um escritor e, para que as histórias fluam, devemos ter uma mente clara e clara. Há um momento para criar e outro para revisar.

Todo escritor tem dentro de si uma criança que brinca e um adulto que traz a ordem, mas nunca podem estar juntos ao mesmo tempo na mesma sala, porque se anulam. Ambos são necessários no processo de escrita, mas deixe o tempo passar entre um e outro”, diz Morales.

“Além disso, é preciso deixar o texto também descansar. Recomendo que você deixe passar pelo menos uma noite entre o processo de redação e o processo de revisão; mesmo que seja mais, melhor. Você verá o texto com novos olhos.”

  1. Estude técnicas de escrita

Como em qualquer profissão, para poder exercê-la da melhor forma (poder tirar o máximo partido das suas competências e até marcar presença no mercado) e estar na vanguarda, tem que se treinar. Existem muitos cursos de redação criativa adaptados aos seus interesses ou necessidades.

“Além disso, um curso de redação o força a escrever regularmente e serve para experimentar novas técnicas e se abrir a diferentes gêneros e possibilidades; além disso, você encontrará pessoas que amam escrever e nesta profissão solitária nunca é demais ter uma tribo com a mesma opinião” .

  1. Tenha fé, aprenda com seus erros e críticas

Escrever é também uma atitude mental e um processo de autoconhecimento. A tentação de jogar a toalha é grande e já aconteceu com todos nós que escrevemos. Tenha fé, dê-se espaço e distância do texto. Tenha orgulho do que você criou, aprenda seus erros e críticas. Já Dom Quixote disse a Sancho “Deixe-os rir, Sancho; teremos sempre a glória de ter tentado.”

“Cuide da sua escrita, não se contente com a primeira coisa que escrever, leia muito (muito), principalmente a boa literatura. E vá lá para mostrar o que você faz, mesmo que no início seja assustador ou envergonhado. Encontre uma tribo que o incentive e te empurrar. E acreditar em você: escrever, como qualquer profissão criativa, exige muita coragem e você já a tem. Sinta-se orgulhoso e siga em frente – aos poucos e apesar de tudo – é assim que você vai conseguir muito. Vejo isso todos os anos, alunos das minhas oficinas e colegas escritores que estão terminando livros, se dando a conhecer, publicando e ganhando prêmios. Persistir, buscar ser melhor a cada dia e buscar apoio no seu caminho, esse é o único segredo”, resume Morales.