Como tomar medicamentos

Depois de certa idade, é relativamente comum tomar, em média, três a seis medicamentos por dia de forma crônica. Esse fato significa que alguns pacientes não aderem ao tratamento, fazendo com que a doença progrida ou não ocorra a melhora esperada.

Uma das causas mais frequentes de não adesão é que o paciente não vê uma forma de compatibilizar toda a tomada de medicamentos com suas atividades diárias. Outras vezes, o paciente simplesmente esquece.

Pacientes polimedicados são definidos como aqueles que fazem uso de 5 ou mais medicamentos, de forma contínua, por período igual ou superior a 6 meses. Não há dúvida de que os idosos são o paciente polimedicado típico, embora o conselho acima possa ser aplicado a qualquer paciente polimedicado. Além disso, as pessoas mais velhas são mais suscetíveis a efeitos colaterais e interações do que as pessoas mais jovens.

Este documento tem como objetivo ajudar os pacientes ou seus cuidadores a organizar a tomada de medicamentos ao longo do dia da forma mais simples possível, mas na hora de obter o máximo benefício de seu tratamento.

Confira também 5 htp – O seu Bem estar em um remédio

Dicas e recomendações para organizar corretamente a tomada de medicamentos

Conheça o seu tratamento

Um paciente informado é um paciente mais complacente. 

O paciente ou cuidador deve saber:

  • O que é preciso
  • Quanto deve demorar
  • Como você deve tomar:
    • Com ou sem comida
    • Se ele pode ser dividido ou triturado ou deve ser tomado inteiro
  • As reações adversas a medicamentos mais comuns e o que fazer se ocorrerem
  • Interações importantes com o resto dos medicamentos que está a tomar.

Você encontrará todas essas informações no folheto que acompanha o medicamento.

Crie um plano de medicação personalizado

O plano de medicação personalizado é uma lista detalhada de todos os medicamentos (medicamentos prescritos e não prescritos, vitaminas e compostos fitoterápicos) que um paciente toma com o nome da marca, dosagem, duração do tratamento e horários de administração. É uma ferramenta útil tanto para o médico como para o farmacêutico, uma vez que desta forma se conhece todo o medicamento que se toma e evita-se a duplicação de medicamentos e possíveis interações farmacêuticas.

Peça ajuda à sua família ou farmacêutico na elaboração do plano de medicação. Se preferir, você também pode escrever à mão em um modelo em branco.

Vá a uma “farmácia primária”

Comprar medicamentos sempre na mesma farmácia pode facilitar para o farmacêutico conhecer todo o histórico médico do paciente e monitorar corretamente o tratamento prescrito, evitando duplicações e interações medicamentosas e adaptando conselhos genéricos à realidade de um determinado paciente.

Simplifique os cronogramas de administração

Recomenda-se que coincidam com as refeições, antes ou depois de acordo com as instruções de administração específicas, pois desta forma é menos provável que o medicamento seja esquecido, ou seja:

  • A cada 6 horas: café da manhã, almoço, lanche e depois do jantar.
  • A cada 8 horas: café da manhã, almoço e jantar.
  • A cada 12 horas: almoço e jantar.
  • Uma vez ao dia: café da manhã, almoço ou jantar, sempre de acordo com as instruções de administração específicas.
  • Se tiver febre ou em caso de dor, é imprescindível perguntar ao seu médico qual o intervalo e a dose máxima diária.

Existem exceções a ter em conta, como os antibióticos, para os quais é muito importante respeitar os intervalos de administração, bem como a duração do tratamento. Também antineoplásicos (drogas para tratar o câncer) e outras drogas que requerem cuidados especiais para sua administração. Por isso, é muito importante mostrar o plano de medicação personalizado na farmácia, para que, se necessário, o farmacêutico possa incluir notas especiais.

Tente simplificar as diretrizes de tratamento

Peça ajuda ao seu médico para simplificar o seu tratamento (com formulações que reduzem o número de doses por dia. Pode nem sempre ser possível, mas se for, é mais fácil seguir o tratamento.

Use um sistema de dosagem personalizado (SPD)

Atualmente existem farmácias que oferecem ao paciente a possibilidade de acesso à medicação diária organizada em embalagens especialmente projetadas para evitar confusão e facilitar o cumprimento da prescrição.